Códigos maliciosos (malware) são programas desenvolvidos para danificar ou roubar arquivos de um computador, o qual pode ser infectado pelo hacker explorando falhas de programas instalados e do sistema operacional ou com o usuário executando arquivos comprometidos, provenientes de anexos de e-mails, mı́dias removı́veis como pendrives e cartões de memória ou páginas da internet.

Conheça os tipos de malware que circulam na Internet

Vírus: Ao infectar o sistema cria cópias de si mesmo e se espalha para outros arquivos e computadores. Para o vírus propagar é necessário que o arquivo ou programa infectado seja executado pelo usuário.

Worm: Diferente do vírus consegue se espalhar automaticamente. Afeta o desempenho das máquinas e consome recursos de rede ao se replicar.

Bot e botnet: Permite que o invasor controle a máquina infectada remotamente. Botnet é o nome dado a uma rede de máquinas infectadas, é comum ser usado para ataques de negação de serviço.

Spyware: Monitora as atividades e dados de um sistema, enviando as informações coletadas para terceiros sem o conhecimento do usuário.

Backdoor: integrado a outros malwares, backdoor é um recurso utilizado para garantir acesso remoto ao sistema ou rede infectada. Para isto, podem por exemplo abrir portas de um roteador.

Trojan: Também conhecido como cavalo de tróia são programas a princípio inofensivos, porém infecta a máquina sem o usuário perceber, pois aparentemente está usando um software legítimo.

Rootkit: Programas que instalam outros códigos maliciosos e removem registros de que uma máquina está infectada, assim o acesso do hacker é mantido.

Adware: Incluídos em outros softwares, exibe anúncios na tela de um computador. Podem ser usados de forma legítima e para fins maliciosos.

Exploit: Sequência de comandos ou software elaborado por hackers com o intuito de explorar falhas e vulnerabilidades de outros softwares e sistemas, logo não é necessário intervenção de um usuário para a infecção ocorrer.

Ransomware: Bloqueia o uso de um sistema infectado e exibe uma mensagem na tela cobrando um valor para que o acesso seja restabelecido.

Casos de infecções famosos

I Love You/Lovebug/Loveletter (2000)

Vírus que se espalhou via e-mail com um arquivo em anexo chamado “love-letter-for-you”. Após executá-lo, enviava automaticamente a mensagem para todos os endereços cadastrados da pessoa em nome dela. O número de infectados foi tão alto que sobrecarregou servidores de e-mail.

WannaCrypt/WannaCry (2017)

Ransomware que atingiu o mundo inteiro, criptografou arquivos impedindo o acesso dos usuários. Os computadores infectados exibiam uma mensagem na tela exigindo o pagamento de US$ 300 em bitcoins para liberar os arquivos.

Versão do CCleaner infectada (2017)

O CCleaner é uma ferramenta de manutenção para o Windows, a versão 5.33.6162 para sistemas 32 bits foi infectada por malware que coletou informações de computadores, como processos em execução, lista de programas instalados e endereços MAC. Sendo um dos programas mais baixados, muitos usuários foram afetados. A falha foi corrigida posteriormente pela desenvolvedora.

The following two tabs change content below.

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *