FALE AGORA COM O COMERCIAL

Fale agora com o Comercial

REDES SOCIAIS

ATENDIMENTO

Erros de estratégias: como evitar?

Home > Gestão  > Erros de estratégias: como evitar?

“Uma estratégia real envolve um conjunto claro de escolhas que definem o que a empresa vai fazer e o que não vai fazer. Muitas estratégias não são implementadas, apesar dos amplos esforços das pessoas que trabalham duro, porque elas não representam um conjunto de escolhas claras.”
(Freek Vermeulen)

Questionar é um passo fundamental no âmbito corporativo, para compreender por qual motivo, muitas vezes, o caminho escolhido para se obter sucesso nos negócios, não foi bem-sucedido.

Independentemente do porte da empresa, discutir, organizar e definir um plano estratégico é item básico para direcionar a empresa para a realização das melhores ações.

Com isso, em um primeiro momento logo pensamos que, se estabelecido o plano estratégico, tudo seguirá plenamente e dentro da perfeição. Será?

Não são raros os casos onde notoriamente, as estratégias falham e os resultados ficam muito aquém do esperado.

O que difere o grupo de empresas e negócios, onde algumas prosperam, em franca expansão, e suas estratégias mostram-se assertivas, enquanto de outro lado, outras corporações cometem erros que muitas vezes quase colocam (e em alguns casos de fato, colocam) tudo a perder?

Afinal, por que as estratégias falham? Te convido a me acompanhar e juntos, refletirmos sobre o tema nas próximas linhas.

Além de identificar algumas razões que podem levar ao erro de estratégia, você poderá se empoderar de algumas dicas importantíssimas para nutrir estratégias de sucesso.

Confira a seguir, em mais um post especial no blog da MAV, só para você!

Entendendo o que é uma estratégia

A palavra estratégia nos remete diretamente ao grego antigo stratègós, sendo que stratos significa exército e ago, comando ou liderança. Inicialmente, compreendia-se estratégia como a “arte do general”.

Impossível não pensarmos, seguindo este viés “militar”, em uma obra seminal para muitas pessoas, escrita por Sun Tzu, um general chinês, denominada “A arte da guerra”.

O livro, escrito no século IV a.C, é apontado como um clássico da literatura universal, revelando em seu conteúdo, um verdadeiro tratado sobre estratégia.

Em suma, estratégia pode ser resumida como um planejamento imprescindível para que determinadas tarefas sejam realizadas, em busca dos objetivos e metas de uma organização.

Para tanto, é preciso adotar as decisões mais adequadas e alinhadas com o propósito e filosofia do negócio em questão.

Erros de estratégia

Um erro recorrente em relação a estratégia, incide exatamente na seguinte premissa: muitas empresas definem em seu plano “estratégico”, o que querem ser, onde querem chegar.

Falam do resultado esperado, da expectativa. E é exatamente nesse ponto que muitos empreendedores pecam e fazem com que tais expectativas já nasçam fadadas ao fracasso.

Isso ocorre quando a empresa não comunica ou não mostra aos demais envolvidos pela execução das estratégias, quais são as ferramentas, os caminhos e atitudes necessárias para se atingir o resultado projetado.

Uma pesquisa feita com 163 CEOs pela Forbes Insights, revelou alguns números interessantes sobre os motivos que levam às falhas de estratégias no cenário corporativo.

O estudo destacou 5 principais motivos:

1. Imprevistos externos (24%);

2. Desconhecimento, por parte dos envolvidos, de métodos e sistemas que ajudam na execução da estratégia para torná-la bem-sucedida (19%);

3. A estratégia em si é imperfeita (18%);

4. A estratégia e as competências essenciais da organização demonstram um desajustamento (16%);

5. Inexistência da definição das responsabilidades que cabem a cada membro da equipe (13%).

Podemos ainda exemplificar outras situações que levam ao erro de estratégia corporativa:

  • A elaboração do planejamento estratégico não leva em conta a participação e colaboração dos demais gestores do negócio, apenas da alta cúpula;
  • A tomada de decisões do negócio não foi embasada em uma análise do ambiente competitivo, tampouco foi realizado um diagnóstico do ambiente interno e externo;
  • Os objetivos estratégicos da empresa são focados exclusivamente em parâmetros financeiros;
  • As táticas definidas são engessadas, não promovem reais mudanças ou melhorias, entre outras.

Exemplos de grandes empresas

Se manter relevante no mercado, mesmo quando sua empresa já está consolidada no cenário corporativo, é fundamental para que seu negócio não estagne ou morra.

E o que fazer para se manter relevante? Certamente, acompanhar as mudanças do mundo, traçar planos e estratégias bem definidas para não se estagnar, é uma das táticas fundamentais para isso.

Peguemos como exemplo, duas empresas famosas no mundo todo, mas com destinos diferentes: IBM e Kodak.

Recentemente, em uma palestra, denominada Impacto e Retorno Financeiro, organizada pela Unibes Cultural e que contou com a participação de Cláudia Pires, fundadora da So+ma Vantagens, a empreendedora em sua fala deu um belo exemplo em relação a questão de erros e acertos estratégicos:

“Os negócios tradicionais, eles perceberam que eles não vão mais continuar do jeito que tão. A gente tem vários exemplos hoje, assim, IBM é um dos gigantes que se tivesse ficado no hardware, teria morrido e hoje tem uma das melhores tecnologias do mundo. O Watson, por exemplo, hoje falado em todos os lugares. “

Ela ainda prosseguiu, comparando o caso da Kodak:

“E atrás disso tem várias outras, Kodak morreu, não conseguiu acompanhar”.

Se pensarmos que a 4Kodak, pioneira no segmento fotográfico, teria tudo para ser relevante no contexto atual, porém, parou no tempo, certamente poderemos inferir que uma das diversas causas para o fracasso foi, de fato, um aglomerado de erros de estratégias.

O fato da empresa não ter dado o devido valor ao segmento de fotos digitais, bem como ter subestimado as empresas concorrentes, demonstram claramente a ineficiência estratégica e o quanto isso custou ao negócio.

Como nutrir estratégias assertivas?

Para que as estratégias em seu negócio não falhem, é importante fazer uma análise profunda e procurar responder algumas questões que irão mostrar se, de fato, tais estratégias apresentam a devida consistência.

Sendo assim, questione sempre durante o planejamento estratégico, se:

  • As estratégias definidas são capazes de trazer ao seu negócio, uma vantagem competitiva;
  • Se as táticas criadas têm senso de aproveitamento de oportunidades, bem como potencial para minimizar possíveis ameaças;
  • Otimiza o potencial da empresa e neutraliza os pontos fracos;
  • Está de acordo com os princípios da corporação;
  • Possui capacidade de criar e inovar;
  • Pode promover o compromisso das pessoas envolvidas.

Dessa forma, haverá maior clareza em relação ao poder transformador das estratégias que serão abordadas, bem como o que será preciso ser feito e de qual maneira, para se alcançar os objetivos traçados.

Para Ram Charan, autor de mais de uma dezena de livros considerados best-sellers sobre o tema gestão e estratégia empresarial, há 3 princípios que norteiam um bom plano estratégico e que podem auxiliar as empresas no sucesso de suas ações:

  • Foco do líder

Ele deve ter a plena capacidade de se comunicar de forma clara com a equipe, bem como definir prioridades e estabelece metas, entregando sempre aquilo o que foi prometido;

  • Mudança Cultural

O líder não pode fazer distinção, deve motivar e extrair o melhor de todos os membros da equipe, sem predileções. Os resultados buscados dependem do time e da união dos colaboradores.

  • Pessoas certas no lugar certo

O “timing” de agregar ao time, colaboradores que demonstrem talento e comprometimento com a causa da empresa, é essencial para facilitar com que as coisas saiam como o planejado.

Além disso, ao estabelecer um plano estratégico na empresa, é importante ter em mente que:

  • Ele precisa de um acompanhamento para, se preciso, sofrer interferência para que os resultados assertivos ocorram;
  • É importante ter métricas bem definidas para avaliar dados e não comprometer o andamento de sua execução;
  • Um cronograma deve ser estipulado para motivar as ações do plano estratégico.

Podemos notar, portanto, que para que as ações estratégicas sejam bem-sucedidas, uma série de fatores devem ser levados em conta.

Visão inovadora, planejamento alinhado com a realidade e propósitos da empresa, acompanhar as mudanças do mercado, entre outros aspectos, são imprescindíveis para evitar ou minimizar falhas.

Agora queremos saber de você: qual seu grau de satisfação em relação às estratégias adotadas em seu negócio? Quais suas maiores dificuldades?
Conte pra nós!

Lembre-se, a equipe MAV está sempre se empenhando para oferecer produtos e serviços de qualidades aos nossos clientes. Por isso, quando precisar conte conosco através do número(31) 3211-7777 ou envie uma mensagem.

Luís Roberto Perossi | Redator e professor, com formação em Letras, sou viciado em café, punk rock e literatura. Apaixonado por Marketing de Conteúdo e entusiasta de Tecnologia

The following two tabs change content below.





×
shares